A misteriosa Igreja dos Ossos

destaque_1

OK, ninguém aguenta mais visitar igreja na Europa (classe média sofre). Duas vezes pior se pensarmos na Itália, país do Vaticano. Porém, não estamos falando de MAIS uma, mas DA igreja. Milão misteriosa e gótica: temos. Daquelas que são peculiares e marcarão para sempre a memória. É assim com a igreja católica (ou seria capela, porque na real é bem pequenininha) de San Bernardino alle Ossa, que fica pertinho do centro histórico, a poucos passos do Duomo. Ela é toda decorada com ossos humanos. EXATO.

Mas então você vai dizer “mas eu nunca ouvi falar desse lugar”. Sim. É isso mesmo. Acontece que Milão esconde várias pérolas que ninguém sabe que existem. Tudo isso porque a galera insiste em ficar no rolê feijão com arroz. Mas voltando, se você é do tipo curioso, gosta de conhecer coisas nesse mundo louco que não são usuais (e quem sabe anda se sentindo meio gótico(a) suave), então PRECISA visitar essa preciosidade. Senta que lá vem causo:

História

Fonte: skyscrapercity.com
Fonte: skyscrapercity.com

Em 1127 foi construído um hospital (chamado Hospital do Brolo) e um pequeno cemitério – destinado ao tratamento de leprosos e ao recebimento dos corpo doentes – em frente a uma antiga basílica, a Santo Stefano Maggiore. Com o passar do tempo, surge um lugar destinado a acolher os ossos “excedentes” – digamos assim. Ao lado desse ossário, em 1269, nasce uma nova e pequena igreja. Em 1679, a sala de ossos começa a ser decorada – suas paredes e afins – com as caveiras e os ossos humanos. Um incêndio acabou destruindo a igrejinha original, que foi reestruturada em um tamanho maior. Somente em 1776 a fachada foi finalizada, e a capela dos ossos foi ficando cada vez mais conhecido ao longo do tempo.

Arquitetura

Fachada da igreja San Bernardino alle Ossa
Fonte: wikipedia.com

O interno da igreja principal possui forma octogonal e estilo barroco, com altar em mármore, duas capelas laterais, órgão, quatro colunas que sustentam a cúpula e varandas (que no passado serviam para os nobres e as autoridades). É cheia também de peculiares detalhes: uma tomba da família de Cristóvão Colombo (sim, o próprio), infindáveis aparições de Sant’Ambrogio (patrono da cidade de Milão), um quadro de São Lucio (ele é protetor dos queijeiros, o que transformou a igreja em ponto de peregrinação desse grupo). Mas o mais BIZARRO e MISTERIOSO fato eu descobri ao longo da pesquisa que fiz sobre a capela. Se você acha que um local de culto feito de ossos já é suficientemente assustador, é porque não descobriu ainda que no mesmo local (na parte da igreja principal) tem uma cripta que funcionava como um putrefário. QUE? Um lugar onde corpos eram “deixados” sentados em “poltronas” em uma sala em forma de pentágono (com roupa e tudo – eles vestiam uma capa marrom) para permanecer a eternidade em paz. Infelizmente (ou felizmente) essa parte não é aberta para visitação, mas para os curiosos, tem um documentário bem legal (está em italiano, mas dá para entender algumas coisas – e para ver as imagens: Oh, meu Deussss!).

De ossário a Capela dos Ossos

Prosseguindo ao longo do estreito corredor do lado direito da igreja, se chega na Capela dos Ossos, que possui afrescos de 1695. Com estrutura quadrada, as paredes internas são quase totalmente recobertas por crânios e ossos do antigo ossário, juntamente com aqueles que foram exumados do cemitério abolido. Eles estão dispostos em nichos, na bordas, adornando os pilares e contornando as portas. A decoração é meio macabra e/ou meio rococó – depende do ponto de vista do observador. No único altar, localizado no centro da parede ao fundo da entrada, em um nicho de mármore, há uma estátua de Nossa Senhora das Dores.

Esses ossos pertencem não somente aos pacientes que morreram no extinto hospital, mas também aos seus antigos dirigentes – bem como das igrejas, aos condenados à decapitação, aos presos mortos nas prisões, aos membros de família aristocráticas que eram sepultadas nas redondezas…

Diz a lenda que em 1738 o rei de Portugal, nosso amigo D. João V visitou a capela e ficou fascinado. Por isso decidiu copia-la em toda sua particularidade e ordenou a construção de uma versão maior – mais punk – em Évora, perto de Lisboa: a Capela dos Ossos.

bibi

Posts Recomendados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *